COMMODITIES | BIG DATA E INTELIGÊNCIA DE MERCADO A FAVOR DE COMPRAS

6 minutos

COMMODITIES |  BIG DATA E INTELIGÊNCIA DE MERCADO A FAVOR DE COMPRAS

O acompanhamento das commodities através da evolução de custos dos seus produtos é uma forma sistemática e financeira de acompanhar uma carteira de compras.

Identificar riscos e impactos totais é uma questão crucial para antecipar ações de Compras e Financeiras (Hedge). A visibilidade das tendências possibilita estratégias robustas e preparação avançada para os desafios imposto pelo mercado.

 


Se você não conhece as commodities que regem o produto que você compra, você não tem estratégia.


Este assunto de commodities é tão sério, mas tão sério que para um comprador que não conhece as principais commodities que regem seus produtos é bem possível que não haja estratégia e a empresa esta em risco, tanto não tento os melhores resultados como receber notícias não evidenciadas de forma desapercebida. (veja METAS EM COMPRAS)

Commodities como:

  • Aço
  • Petróleo e derivados
  • Cobre
  • Alumínio
  • Prata
  • Açucar
  • Milho
  • Café

Os preços destas commodities são direcionadas pelo mercado, é o jogo de oferta vs. demanda que regulariza os preços (ponto de equilíbrio). Um comprador tem a obrigação de identificar, entender e incorporar o impacto das commodities no dia a dia da sua carteira.

Uma empresa precisa de previsibilidade e, construções de estratégias robustas para mitigar ou flexibilizar os impactos das commodities é uma atividade que deveria ser dada extrema atenção no dia a dia da área de compras.

commodities

Fonte Imagem: casinopounds.co.uk

COST BREAK DOWN | DOMINE INTERNAMENTE SEUS PRODUTOS COMPRADOS

A primeira ação é identificar as commodities que compõe um determinado produto, deste um parafuso até um sistema complexo é necessário identificar os drivers que podem impactar tanto negativamente como positivamente tal produto. Significa:

  • Se as commodities que regem os produtos sofrerem QUEDA é obrigação do comprador renegociar melhores preços
  • Se as commodities que regem os produtos sofrerem ALTA é importante entender e negociar os valores mais justos possíveis, além de ter estratégias de contingência que mitigam impactos relevantes.

No caso  de um produto “BLACKBOX” é possível fazer um TearDown. 

Teardown nada mais é que desmontar item a item do produto BLACKBOX e classificar de forma ordenada cada commodity que o compõe e, as tecnologias empregadas.

Alguns exemplos:

Na INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA

  • O pneu é derivado da commodity BORRACHA
  • O lataria é derivada da commodity AÇO
  • O painel interno é derivado da commodity POLIPROPILENO

Na INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA

  • O frango é derivado da commodity MILHO
  • O refrigerante é derivado da commodity AÇUCAR
  • O pão o é derivado da commodity TRIGO

Na CONSTRUÇÃO CIVIL

  • A estrutura metálica é derivada da commodity AÇO
  • O piso laminado é derivado da commodity MADEIRA
  • As esquadrias de alumínio são derivadas da commodity ALUMÍNIO

É possível considerar a principal commodity ou considerar um cost breakdown com diversas commodities, isso dependerá do nível de precisão que você busca na sua carteira e a complexidade que você consegue gerenciar.

Outros exemplos, agora com mais complexidade e commodities:

Na INDÚSTRIA AUTOMOBILISTICA

  • Alternador
    • Cobre
    • Gusa
    • Aço

Na INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA

  • Pizza Congelada
    • Leite
    • Trigo
    • Tomate

Na CONSTRUÇÃO CIVIL

  • Interruptor Elétrico
    • Plásticos
    • Cobre
    • Aço

O detalhamento dos produtos deixa sua análise mais precisa e aplicável, porém gera complexidade operacional.

Trabalhe com mais detalhamento em produtos que representam uma fatia importante do seu SPEND e, com mais simplificação nos itens com menor SPEND. A idéia de acompanhar as commodities não é precisão e acuracidade, mas direcionamento e antecipação estratégica (veja KRALJIC).

Colocar inteligência na evolução de custos possibilita:

  • Tomada de decisões mais assertivas
  • Estratégias muito mais robustas e proativas

PONTO DE EQUILÍBRIO | QUAL SERÁ O PREÇOS DO SEU PRODUTO AMANHÃ?

Qual será o preço do seu produto amanhã é a pergunta de U$1.000.000, os preços futuros de compras são incertos e dependem de muitas variáveis, muitas tendências, dinâmicas de mercado e da atuação do comprador e negociador (veja BATNA), um bom comprador entende as tendências e, se prepara para mitigá-las com competitividade (veja KRALJIC) ou com alavancagem (veja TEORIA DOS JOGOS).

Um comprador precisa estar sempre a frente das tendências de mercado, por isso entender conceitos que podem mexer no ponto de equilíbrio das suas commodities é crucial. De nada adianta uma estratégia sem ações proativas que possibilitem aproveitar ao máximo uma BAIXA de commodities, assim como para mitigar ao máximo uma ALTA de commodities.


E reatividade na construção de uma estratégia é danosa e, prejuízos certo acontecerão, esteja à frente.


O ponto de equilíbrio:

  • É a relação entre oferta vs. demanda,
  • É a relação entre capacidade instalada vs. demanda de mercado.

Quanto maior for a demanda por um produto e menor a oferta, e fato que o preço irá AUMENTAR, é o mercado buscando equilíbrio.

Exemplo em apartamentos na praia:

  • No inverno tem pouca demanda, então os preço BAIXAM
  • No verão a demanda alta, então os preços AUMENTAM

Como a disponibilidade de apartamentos (capacidade) é a mesma, o mercado trabalha com o PREÇO para equilibra demanda e ter maiores ganhos ou recuperar perdas na BAIXA.

commodities

Fonte Imagem: wisegeek.com

VIDEO | OFERTA E DEMANDA

Entender Oferta vs. Demanda das commodities dos seus produtos é algo bastante sério. É importante que um comprador estratégico tenha consciência dos movimentos de mercado que impactarão sua carteira.

Para isso é importante sempre fazer-se perguntas básicas como estas abaixo:

  • Se o demanda de petróleo CAIR, como isso afeta minha carteira?
  • Se o consumo (demanda) na China CAIR, como isso afeta minha carteira?
  • Se o frete marítimo REDUZIR capacidade (oferta), como isso afeta minha carteira?
  • Se grande fundições de aço FECHAREM (oferta), como isso afeta minha carteira?

Veja este vídeo fantástico da Bloomberg, nele é possível entender uma tendência possível do mercado automotivo e, o impacto na commodity de petróleo. Eu te pergunto, se isso realmente acontecer, qual o impacto na sua carteira de compras?

COMPOSITE INDEX | EQUACIOANDO SUA CARTEIRA PARA AVALIAR IMPACTO DAS COMMODITIES

Composite index é um agrupamento índices combinados de forma padronizada, proporcionando uma medida estatística útil e única de desempenho da carteira de compras.

Em geral, composite index contempla os diversos drivers de um determinado produtos e, seus efeitos em um único índice, também é possível, consolidar um índice para diversas carteira, para uma categoria, para uma empresa.

A vantagem do composite index é a possibilidade de antecipar a pressão de mercado (veja METAS) e, definir ações consistentes de mitigação ou antecipação.

Por exemplo, um motor de carro tem as seguintes commodities:

  • Aço
  • Ferro Fundido
  • Alumínio
  • Óleo
  • Plástico
  • Mão de Obra

O % médio de participação cada uma destas categorias, por exemplo:

  • Aço = 22%
  • Ferro Fundido = 14%
  • Alumínio = 6%
  • Óleo = 2%
  • Plástico = 3%
  • Mão de Obra = 34%
  • Outros (Margem, depreciação) = 19%

O resultado entre a relação do % de participação vs. o impacto das commodities é o seu composite:

  • Aço = 22% x driver aço
  • Ferro Fundido = 14% x driver pig iron
  • Alumínio = 6% x driver alumínio
  • Óleo = 2% x driver óleo
  • Plástico = 3% x driver resina
  • Mão de Obra = 34% x driver inflacão
  • Outros (Margem, depreciação) = 19% (sem impacto por driver de mercado)

Hipoteticamente, para chegarmos a um resultado de composite index consideraremos:

  • Driver aço = -2%
  • Driver pig iron = -3,5%
  • Driver alumínio = -11%
  • Driver óleo = -4,5%
  • Driver resina = -1%
  • Driver inflacão = +7%

Neste caso temos as seguintes equações:

  • Aço = 22% x -2% = -0,4%
  • Ferro Fundido = 14% x -3,5% = -0,5%
  • Alumínio = 6% x -11% = -0,7%
  • Óleo = 2% x -4,5% = –0,1%
  • Plástico = 3% x -1% = 0%
  • Mão de Obra = 34% x +7% = +2,4%

O Motor nesta caso sofre uma pressão de mercado, e tem um composite index = +0,7%

Sabendo que tem +0,7% de composite index, é válido pergunta:

  • Qual seria sua estratégia neste contexto?
  • Qual o risco e potencial para mitigar o impacto do mercado?
  • Qual o nível de competitividade que possibilite alavancar-se com fornecedores?

HEDGE | RISCO E OPORTUNIDADE DE GERENCIAR E CONTROLAR AS COMMODITIES

Além de estratégias de compras, a empresa pode seguir políticas e estratégias econômicas para ter mais estabilidade em algumas carteiras. O HEDGE é uma destas ferramentas financeiras.

VIDEO | ENTENDA COMO FUNCIONA UM FUNDO DE HEDGE

HEDGE E MERCADO FUTURO

Muitas empresas e grandes investidores usam o mercado de opções para fazer HEDGE. É uma forma de garantir suas aplicações e protegê-las de eventuais volatilidades exageradas.

As empresas não podem abrir mão de seus objetivos principais, nem especular com aquilo que não está ligado diretamente aos seus fatores de produção e produtos. O HEDGE deve ser usado para estabilizar commodities ou mesmo câmbio para eventuais picos, principalmente se a empresa tem reserva de fluxo de caixa, porém o HEDGE mas não pode de forma alguma ser base de alavancagem de resultado.

Se uma empresa sai de sua atividade CORE para especular no mercado futuro, o acionista se desinteressa e a empresa fica com sua reputação abalada perante o mercado.

ALGUNS WEBSITES PARA ACOMPANHAMENTO DAS COMMODITIES

LME | LONDON METAL EXCHANGE

lme

Link: LME

IHS | CMAI

commodities

 

Link: IHS

SBB

commodities

Link: SBB

CRU

commodities

Link: CRU

ICIS

commodities

Link: ICIS

RISI

commodities

Link: RISI

BM&F BOVESPA

commodities

Link: BM&F BOVESPA

YAHOO FINANCE

commodities

Link: YAHOO FINANCE

ADVFN

commodities

Link: ADVFN

INVESTING.COM

commodities

Link: BR INVESTING

COST DRIVERS

commodities

Link: COST DRIVERS


RESUMO COMMODTITIES

  1. Identifique as principais commodities que você compra (COST BREAKDOWN)
  2. Avalie os mercados que negociam estas commodities e busque consultoria especializadas
  3. Controle e acompanhe as evoluções das commodities (BIG DATA)
  4. Incorpore o acompanhamento das commodities a sua estratégia de compras (METAS)
  5. Torne-se um comprador estratégico entendendo e acompanhando tendências proativamente

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *